O condutor tem de estar apto responder atempadamente a qualquer situação que encontre na via. Fique a conhecer os efeitos dos medicamentos e as precauções a tomar para uma condução segura.

Afinal, será que os medicamentos têm influência na condução?

Grande parte dos acidentes ocorridos em Portugal nos últimos anos deveu-se a situações em que os condutores se apresentavam com perturbações na visão, fadiga extrema ou perda das capacidades cognitivas, causados pela toma de medicamentos.

Ao contrário do que possa pensar, não são apenas os medicamentos de prescrição e utilização muito especifica que podem afetar o estado do condutor. Vários medicamentos como analgésicos, xaropes, anti-histamínicos, antigripais, diuréticos, pomadas e gotas oftamológicas, podem ter consequências na condução. Fique a conhecer alguns dos efeitos a que deve estar atento.

Analgésicos

Os analgésicos mais comuns atuam no alívio da dor enviando sinais ao cérebro que têm como consequência uma diminuição radical dos níveis de adrenalina produzidos. Com menos adrenalina a ser libertada, a energia do seu organismo diminui, resultando em fadiga, sonolência e desorientação.

Anti-histamínicos

Destinados a acabar com as alergias, estes medicamentos secam os canais nasais e lacrimais podendo causar visão turva e ainda sonolência.

Anti-depressivos e Anti-Ansiedade

Estes medicamentos afetam a capacidade de vigilância e perceção do condutor e diminuem o seu tempo de reação. No caso do tratamento com anti-depressivos, deve ser acompanhado médico constantemente e evitar a condução até que obtenha aprovação por parte do médico.

Estimulantes

Se pensava que consumir um medicamento ou suplemento que lhe dá energia seria bom antes de conduzir não poderia estar mais enganado. A verdade é que o tornam mais impetuoso e menos capaz de prestar atenção aos detalhes da estrada.

Para diminuir o risco de conduzir sob o efeito secundário de algum medicamento, deixamos-lhe cinco sugestões a seguir durante a toma de qualquer medicamento:

  1. Leia cuidadosamente o folheto informativo do medicamento.
  2. Informe-se junto do seu médico ou farmacêutico se é aconselhável conduzir sobre o efeito do medicamento prescrito.
  3. Avalie os eventuais efeitos secundários de um medicamento, realizando um teste durante dois a três dias antes de conduzir.
  4. Não aumente a dose prescrita por autodeliberação.
  5. Não combine medicamentos sem saber quais os efeitos da sua combinação.

 

Atualmente, Telpark está disponível em mais de  70 cidades de Portugal e Espanha. Deixe-nos uma mensagem ou visite a secção de perguntas frequentes no website do seu parquímetro pessoal.

Se ainda não descarregou a aplicação, não espere mais: para isso apenas tem de clicar.

Mais informações e vantagens em www.telpark.com/pt/